Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Desconfinamento "total" (opinião)

por ✓MS, em 18.04.21

Para quem, como eu, tem trabalhado durante todo o confinamento já não estranha ouvir falar que a partir de segunda voltamos ao "normal". Bem, dentro dos confinamentos que houveram é certo que as empresas que se mantiveram abertas tiveram de se reinventar. No meu caso, a restauração. Vendas para Uber e Glovo foram o forte (e único meio) de vendas no nosso ramo. Mas se pensam que tiramos a "barriga de misérias" dos clientes chatos e mal educados estão bem enganados. Os clientes apareciam no local a dizer que queriam comprar comida ali na loja. Será que não conseguem ouvir noticias ou simplesmente fazem de nós estúpidos? Os clientes apareciam no local a dizer que já fizeram a encomenda pela Uber (por exemplo) e vinham levantar o pedido. Mas será que os clientes não sabem que a empresa de DISTRIBUIÇÃO tem estafetas que lhes levam a comida na morada que indicam?

Os clientes ligam para a loja a fazer pedidos de comida para que alguém lhes leve a casa a dita cuja. Quando ouvem dizer que só através daquelas empresas, respondem que não entregam naquela zona. Pois claro, e nós que não temos estafetas próprios vamos entregar? 

Tirando as inúmeras vezes (quase maioria) em que os clientes, seja presencialmente ou por telefone, são extremamente rudes e mal educados. A vontade deste lado, dos inúmeros funcionários, é mandar esses clientes pentear macacos, mas estamos a trabalhar e não podemos (nem devemos no geral mesmo sem ser em local de trabalho) ser mal educados com os clientes. Clientes esses que por vezes em chamada insultam colegas meus, chefes meus. Só porque não podem satisfazer os seus pedidos. 

 

Por favor, não sejam clientes destes! Tentem pelo menos ser compreensivos com quem está do outro lado. Na maioria das vezes cumprimos regras. Boas ou menos boas, são as nossas regras e não as podemos mudar. Nós também somos clientes em algum momento. Sabemos o que é estar desse lado. Podem tentar estar na nossa posição e entender o nosso lado?

Autoria e outros dados (tags, etc)

Insónias

por ✓MS, em 11.04.21

Desde que começou todo este reboliço da pandemia sinto que as minhas insónias pioraram drasticamente. Uma ou outra  noite que durmo 2/3 horas. Mais recentemente, este ano, aproveito as manhãs e após almoço para tentar descansar dessas noites mal dormidas. Até corre bem maioria das vezes, o problema é mesmo me sentir cansada após acordar (sempre me disseram que o sono do dia não é igual ao da noite). Aqui a parvinha nunca quis acreditar mas agora sabe que é verdade. Uma ou outra vez consegui aproveitar o dia para passear um pouco com o namorado (com todas as precauções devidas e evitando ao máximo locais com muitas pessoas). Nesses dias não descansava durante o dia e o cansaço de passear, mesmo que pouco mas o corpo não estava habituado, faz-me conseguir dormir melhor durante a noite.

Ando mesmo a precisar de gastar energia de forma diferente, sem ser no trabalho ou em casa. A diferença é imensa na questão de um bom descanso!

 

Já me seguem no Instagram? @na1pessoa

Autoria e outros dados (tags, etc)

Final de semana

por ✓MS, em 27.03.21

IMG_20200602_151619.jpg

 

Chegou o final de semana. Com o sabado vieram aquelas limpezas normais, que não foram possíveis no final de semana anterior por estar a trabalhar em horários "incompativeis" com as limpezas que seria eu a fazer logo pela manhã (como hoje). No entanto, a vontade era de passear assim pela beira da praia, se fosse possível!

E vocês, como vai ser o vosso final de semana? O sabado também é dia de limpezas?

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Quando se fala em desconfinar

por ✓MS, em 18.03.21

É uma realidade que todos atravessamos períodos difíceis e complicados nesta altura do campeonato. Em diversos sentidos é necessário desconfinar, é verdade. Mas tão importante como desconfinar é também seguir regras, cumprir regras. Trabalhei durante todo este confinamento. O caminho de casa ao trabalho e do trabalho para casa sempre foi feito com o uso dos transportes públicos. Durante todo o confinamento conseguia estar, dentro dos possíveis, a vontade nos transportes. Não me sentia incomodada com praticamente nada. 

No entanto, desde que se falou nas datas do desconfinamento total, e tudo o que vai reabrindo ao longo do tempo, as pessoas parece-me que ficaram descontroladas. Esta semana confesso que tem sido terrível o caminho de casa para o trabalho e vice versa, principalmente por causa dos transportes públicos. Chega ao ponto de estar tanta gente lá dentro que me sinto um pouco "claustrofóbica", chega ao ponto que não devia chegar de não haver espaço suficiente para todos. As pessoas na rua acabam por manter o distanciamento social (mais  ou menos) mas nos transportes públicos esqueçam lá isso, ninguém cumpre com nada. Isto, juntando com o mau humor geral da maioria das pessoas torna-se terrível de nos termos de deslocar desta forma. 

Têm sentido o mesmo ou conseguiram ter uma visão diferente desta situação?

Autoria e outros dados (tags, etc)

Desabafos do confinamento

por ✓MS, em 29.01.21

Andava eu aqui a reflectir sobre o confinamento passado e este mais recente. No confinamento do ano passado, estava eu a 100% confinada em casa e "cheia de energia" para quase tudo. Eu queria cozinhar, eu queria fazer limpezas em casa e tudo mais. Julgo eu que o stress e aquele sentimento de incerteza do que mais iria vir por aí me fazia querer ocupar as minhas 24h a fazer tudo e mais alguma coisa. 

Desta vez, quase um ano após o primeiro confinamento, sinto quase o oposto. Não estou confinada a 100%, pois continuo a trabalhar (apesar de ser em layoff parcial). O tempo que passo em casa, que ainda assim é bastante, não sinto vontade de fazer rigorosamente nada. Tenho vontade de dormir, dormir muito! Durante a noite tenho grandes insónias, que me fazem ir dormir muito mais tarde do que era o meu habitual. Durante o dia vou "vagueando" pelos cantos até que acabo por, a qualquer momento, adormecer na cama durante algum tempo. Acordo, ainda a morrer de sono e ainda sem vontade de fazer  nada. 

Apesar das diferenças, e agradecer por ainda conseguir manter o meu posto de trabalho, tenho aproveitado muito mais para descansar mesmo dos últimos meses bastante puxados de trabalho. Acredito que ainda existe muita gente com falta de noção do estado em que vivemos. E isto é triste!

Autoria e outros dados (tags, etc)

.



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Mensagens