Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]


.


A força que podemos ter

por *Márcia S.*, em 28.08.15

Muita coisa que já aqui partilhei aconteceu no passado. Num passado que terminou não muito longe do presente. Mas não tão recente quanto isso. O último ano e meio (quase quase ano e meio, falta só mesmo um bocadinho) fez-me crescer tanto emocionalmente e todos os outros níveis, mas principalmente emocionalmente. Algumas pessoas que foram apanhando algumas dicas minhas queriam o link deste meu cantinho. Custou-me tanto dizer "não", com a promessa que em breve poderei partilhar aqui o espaço com pessoas que me entendem aqui deste lado. O que fui partilhando aqui no último, quase, ano e meio representa talvez 30% dos meus poucos anos.

Aos poucos vou levantando a cortina de algumas coisas do meu passado, do meu presente também mas um tanto escondido. E hoje talvez tenha chegado o momento de revelar um pouquinho mais, ou talvez não. Ao longo dos anos fui percebendo que tinha alguma força para me "aguentar" que não sabia ter. Nunca imaginei ter a força de aguentar a maldade das pessoas mas principalmente de meter na cabeça que estava na altura de fazer ver que também sou capaz de me levantar e seguir em frente. Quando as coisas aconteceram eu só pensava "quando isto vai acabar?", quando colocava os pés na rua o meu pensamento era "mais um dia para aguentares e não te passes, muito menos chores". Acho que chorar foi das primeiras coisas que aprendi a controlar. Porque, mesmo que as pessoas vissem que eu estava fraca não me iriam ver chorar. Hoje não choro em público, nunca! E caso isso aconteça não é por estar fraca, mas porque o meu limite está a esgotar e para não ser agressiva preferi deixar-me chorar.

Estive perto do abismo, literalmente. Estive perto de saltar e esquecer que "a vida pode ser bonita se a soubermos viver". Acho que nunca acreditei muito que algum dia pudesse desejar tanto a minha vida que ela se tornasse a minha prioridade para combater tudo e todos. O sofrimento foi tal que a ideia de acabar com tudo pareceu-me apetitosa na altura. Poucas pessoas souberam do sucedido e só o souberam recentemente, quando me senti preparada para falar do assunto e responder a perguntas difíceis. 

Foi a partir desse dia que percebi que tinha mais força do que pensava ter. A força necessária para levar a minha vida para a frente e ama-la a ela antes de amar outra pessoa qualquer.

Autoria e outros dados (tags, etc)

.



12 comentários

Imagem de perfil

Andy Bloig a 28.08.2015

Agora já podes perceber uma das primeiras coisa que te disse quando te comecei a escrevinhar aqui... e que te disse, creio que foi na terça.

O tal abismo que estiveste perto de saltar... é porque ainda tens aquilo que dizes já não ter. Só lá quiseste ir (e voltar por ti... NUNCA LÁ TENTES VOLTAR... GASTASTE O TEU CRÉDITO!!!) e voltar para trás.
Só descobres esse sítio quando achas que perdeste tudo e não há mais nada para viver. Nessa altura tens 2 créditos: um que és tu própria que decides que ainda existe algo que te possa segurar ou alguém te puxa de lá para fora. Só que, só podes usar 1 vez cada um... na próxima já não encontras o caminho de regresso.

Já percebeste que adoro passear à beira do abismo. Só que, eu não tenho aquilo que dizes já ter perdido. Por isso, posso lá ir quando quiser, é um bom local para pensar... e uma porta para o passado. Quase ninguém lá consegue ir mais de 2 vezes e voltar atrás. Eu sei lá ir quando quiser, porque o que lá está não me afecta. Tudo o que lá existe (solidão, medo, terror, desespero, tristeza e coisas piores) não me consegue tocar e sei que não posso saltar. A ti consegue empurrar-te... por isso é que te disse que tens sentimentos. Não penses que os perdestes. Podes tê-los escondidos mas, continuas a ter o que te torna numa boa pessoa. Nunca te esqueças disso.

(e não te atrevas a deixar-te apanhar por aqueles lambe-botas que dizem que tem mapas de como seres feliz com isto e aquilo... Quando estás frágil, é fácil procurar a ajuda dessas coisas que só sabem falar.)
Imagem de perfil

*Márcia S.* a 28.08.2015

Já sabia que cá vinhas. Estás trocado. :)

Isto foi no passado, um passado mais distante. Como disse, talvez não iria falar do presente. Só lá fui uma vez (e penso teres percebido onde). O que relatei não foi nenhum "retroceder". Foi um episodio pensado por mim e por mim recusado. Não tenho vontade de lá voltar, não por medo, mas por outros motivos. O abismo não me assusta minimamente.
Sentimentos... tens a certeza que queres ir por aí? :)
Imagem de perfil

Andy Bloig a 28.08.2015

Já disse o que tinha a dizer acerca disso ... e mantenho o que disse sem qualquer alteração.
Imagem de perfil

*Márcia S.* a 28.08.2015

Não me lembro de ter dito que não tinha sentimentos, mas que os sabia controlar.

Conta lá mais sobre mim, estou a gostar.
Imagem de perfil

Andy Bloig a 28.08.2015

Sentimentos não se controlam... ou tens ou não tens. O resultado final está em 1 ou 0. Não há meio termo.
Dizes que os controlas, porque não os dizes em voz alta? Que os controlas porque te refugias na tua casca de noz, cada vez que entras em mares revoltos?

Na outra noite eu disse-te o mesmo que escrevi ali em cima... quando te contei uma história sobre mim. Percebeste que tinha tocado num ponto "fraco" teu e fugiste do tema. Fizeste bem. Mostraste que já não te assusta e te consegues desviar dele. Só consegues fazer isso, se tiveres sentimentos. Não é por não o enfrentares com armas que o vences... já aprendeste isso e não é preciso dizer-te como nem porquê.
Imagem de perfil

*Márcia S.* a 28.08.2015

Nunca neguei que tinha sentimentos, volto a repetir.
Isso é uma frase feita!

O sentimento quando existe, se é bom cultivo-o. Se é mau acabo com ele. E para esquecer sou a primeira. Queres mais?


Tou pra ver do que fugi sem dar conta.
Imagem de perfil

Andy Bloig a 28.08.2015

Calma... Sou mau mas, não é preciso tanto.

(ir mas é acabar de preencher a ficha da associação de defesa dos sacos de boxe que ela está a ficar irritada... e já tem a luvas ao pé)
Imagem de perfil

*Márcia S.* a 28.08.2015

Calma flor, não bato em medricas, muito menos tendo mais força que eles.

Imagem de perfil

Andy Bloig a 28.08.2015

Tenho de mudar a Isabel para Márcia?

Não te mando mais flores....


Imagem de perfil

*Márcia S.* a 28.08.2015

Não havia necessidade!
Manda as flores que quiseres, tou aqui para receber

Tréguas, antes que se torne mesmo um ringue.

Imagem de perfil

Gi a 28.08.2015

Ainda bem que não saltaste desse abismo porque nesse caso não terias feito nem vivido aquilo que até hoje viveste e fizeste. E só por isso já vale a pena. E também fizeste bem em desabafar porque isso às vezes tira-nos um enorme peso de cima das costas.
Imagem de perfil

*Márcia S.* a 28.08.2015

Obrigada. :)
Há momentos que mais vale falar, aquele foi um deles. Não foi para aliviar, mas também ajudou claro.

Comentar post



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Mensagens