Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Visitas ao Cereal World

por ✓MS, em 20.03.21

IMG_20201231_164127.jpg

IMG_20201231_164347.jpg

Se, como eu, gostam de leite com cereais a loja Cereal World é perfeita! Cereais diferentes do que encontramos em Portugal. Têm várias opções de preços que podem escolher vários cereais, temos também várias variedades de leite a escolha e sabem qual a melhor parte? Podemos colocar toppings por cima!

Passei lá duas vezes com o namorado e adoramos. Ficou um local a visitar mais vezes com toda a certeza!

 

 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Quando se fala em desconfinar

por ✓MS, em 18.03.21

É uma realidade que todos atravessamos períodos difíceis e complicados nesta altura do campeonato. Em diversos sentidos é necessário desconfinar, é verdade. Mas tão importante como desconfinar é também seguir regras, cumprir regras. Trabalhei durante todo este confinamento. O caminho de casa ao trabalho e do trabalho para casa sempre foi feito com o uso dos transportes públicos. Durante todo o confinamento conseguia estar, dentro dos possíveis, a vontade nos transportes. Não me sentia incomodada com praticamente nada. 

No entanto, desde que se falou nas datas do desconfinamento total, e tudo o que vai reabrindo ao longo do tempo, as pessoas parece-me que ficaram descontroladas. Esta semana confesso que tem sido terrível o caminho de casa para o trabalho e vice versa, principalmente por causa dos transportes públicos. Chega ao ponto de estar tanta gente lá dentro que me sinto um pouco "claustrofóbica", chega ao ponto que não devia chegar de não haver espaço suficiente para todos. As pessoas na rua acabam por manter o distanciamento social (mais  ou menos) mas nos transportes públicos esqueçam lá isso, ninguém cumpre com nada. Isto, juntando com o mau humor geral da maioria das pessoas torna-se terrível de nos termos de deslocar desta forma. 

Têm sentido o mesmo ou conseguiram ter uma visão diferente desta situação?

Autoria e outros dados (tags, etc)

Desabafos do confinamento

por ✓MS, em 29.01.21

Andava eu aqui a reflectir sobre o confinamento passado e este mais recente. No confinamento do ano passado, estava eu a 100% confinada em casa e "cheia de energia" para quase tudo. Eu queria cozinhar, eu queria fazer limpezas em casa e tudo mais. Julgo eu que o stress e aquele sentimento de incerteza do que mais iria vir por aí me fazia querer ocupar as minhas 24h a fazer tudo e mais alguma coisa. 

Desta vez, quase um ano após o primeiro confinamento, sinto quase o oposto. Não estou confinada a 100%, pois continuo a trabalhar (apesar de ser em layoff parcial). O tempo que passo em casa, que ainda assim é bastante, não sinto vontade de fazer rigorosamente nada. Tenho vontade de dormir, dormir muito! Durante a noite tenho grandes insónias, que me fazem ir dormir muito mais tarde do que era o meu habitual. Durante o dia vou "vagueando" pelos cantos até que acabo por, a qualquer momento, adormecer na cama durante algum tempo. Acordo, ainda a morrer de sono e ainda sem vontade de fazer  nada. 

Apesar das diferenças, e agradecer por ainda conseguir manter o meu posto de trabalho, tenho aproveitado muito mais para descansar mesmo dos últimos meses bastante puxados de trabalho. Acredito que ainda existe muita gente com falta de noção do estado em que vivemos. E isto é triste!

Autoria e outros dados (tags, etc)

Covid-19, pandemias e desabafos

por ✓MS, em 21.01.21

Dei por mim aqui a fazer uma retrospectiva do último ano. Tinha planeado fazer uma publicação aqui no blog sobre metas e objectivos para o novo ano. No entanto, deixou de fazer sentido para mim. Planear o quê, para quê? Incertezas, foram as únicas coisas que existiam e ainda existem na minha mente. Deixei passar. 

Não passo aqui hoje para escrever metas nem objectivos para este ano. Talvez seja o primeiro ano que não realizo tal "lista". Talvez o ideal seja mesmo isso, não idealizar nada e deixar acontecer, conforme o destino quiser. 

O que me leva a pensar assim é tudo isto que nos rodeia. Confinamentos, pandemia, covid-19. Acabei por preferir não ver as notícias a 100%, fui-me mantendo informada e sempre a cumprir regras. Mas deixe de acompanhar as notícias "ao minuto e 24h por dia". A certo momento senti que a incerteza de tudo, me estava a deixar a cabeça a estourar. 

Sonhos, esses tenho muitos. Mas não os posso, neste momento tão incerto, colocar como metas ou objectivos a cumprir num futuro tão próximo como gostaria. 

 

Passem pelo Instagram @na1pessoa e acompanhem mais de perto o meu dia-a-dia! 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Natal em tempos de pandemia

por ✓MS, em 21.12.20

Já tinha referido este tema AQUI no blog. A opinião não mudou, e pouco ou nada mudou em relação a esta pandemia que nos rodeia. Continuamos com restrições, independentemente de serem mais pesadas ou leves. 

Continuamos com pessoas que cumprem as regras a 100% e outras que simplesmente ignoram ou "não querem saber". É incrível como cada vez mais os shoppings, por exemplo, se encontram cheios de pessoas. Sim, é normal na época de Natal isto acontecer. Mas não é normal as pessoas ignorarem que estamos no meio de uma pandemia e preferirem estar dentro de um shopping. Já basta os lojistas terem de lá estar a trabalhar, e verem a irresponsabilidade de muitos que se recusam a andar por exemplo com as máscaras colocadas na cara. 

Se em anos anteriores havia possibilidade de estarmos mais na mesa de consoada, este ano cá por casa seremos mesmo os que cá residem em casa. Somos 4, e somos suficientes. Se gostava de ter mais gente connosco? É algo que estava habituada quando era mais nova, ao fim de uns tempos é raro sermos mais do que nós os 4. Não sentirei tanta diferença nesse aspecto. 

Claro que existem outros pontos, como o orçamento familiar de muitas famílias ter reduzido e os presentes de Natal serem reduzidos ou nulos. Por aqui não somos excepção! De qualquer forma penso que presentes de natal são apenas uma forma de as pessoas muitas vezes gastarem o que têm e o que não têm. Podemos dar presente a alguém em qualquer altura do ano, se no natal não tivermos orçamento para isso, devemos aproveitar o lado realmente BOM desta altura do ano que é estar em família. 

 

Podem ver as opiniões da CAT, JOANA, RITA, LILIANA clicando em cima dos nomes respectivos. 

Autoria e outros dados (tags, etc)

.



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Mensagens